Como conseguir o melhor empréstimo?

Quando a situação financeira começa a apertar e o risco de endividamento se torna iminente, a melhor solução pode ser um empréstimo. No entanto, as opções oferecidas pelo mercado estão cada vez mais diversas, o que torna a busca pela melhor opção um pouco complicada.

Para esclarecer esse tipo de dúvida, reunimos no post de hoje os principais tipos de empréstimo e descrevemos o funcionamento de cada um deles. Além disso, falaremos também sobre alguns cuidados que devem ser tomados na hora de contratar um créditos.

Conheça os tipos de empréstimos disponíveis

Para conseguir o melhor empréstimo é necessário, antes de tudo, saber quais empréstimos estão disponíveis. Saber como cada um funciona é importante para que você não tenha nenhuma surpresa quando for pagar. A seguir, listamos os principais empréstimos disponíveis no mercado:

Empréstimo pessoal

É uma modalidade de crédito muito popular no país, e é oferecida na maioria dos bancos e financeiras. Uma vantagem que justifica a sua popularidade é a não exigência de nenhum bem como garantia, além de ter uma contratação bem rápida, que ocorre em menos de 24 horas, sem a necessidade de muita burocracia.

No entanto, uma das desvantagens deste empréstimo são as taxas. Mesmo sendo menores que a do cheque especial, os juros do Empréstimo Pessoal são maiores do que outros empréstimos. Além disso, este crédito não pode ser contratado por pessoas com o nome negativado.

Empréstimo Consignado

Também conhecido como crédito consignado, o empréstimo é considerado uma das opções mais rápidas e seguras. Nesta modalidade, as parcelas são descontadas diretamente no seu salário ou no benefício do INSS. Sendo assim, os bancos possuem uma garantia de pagamento, fazendo com que as taxas de juros para esse empréstimo sejam bem baixas, o que é sua principal vantagem.

O crédito só é oferecido para aposentados pelo INSS, servidores públicos e pessoas que trabalham com carteira assinada. Outra desvantagem é que o valor das parcelas nunca pode ultrapassar 30% do seu salário ou benefício.

Refinanciamento de imóvel ou de veículo

Para contratar esse tipo de empréstimo é necessário que você use seu imóvel ou veículo como garantia. O valor deste tipo de crédito dependerá do valor do seu bem e corresponderá a, no máximo, 60% do valor do seu imóvel e 70% do valor do seu automóvel.

Anúncios

Como o banco terá garantia de pagamento, as taxas de juros são bem baixas, o que é uma grande vantagem. No entanto, é necessário que você tenha um imóvel ou veículo próprio para contratar o refinanciamento. Além disso, a maior desvantagem desse tipo de crédito é que, caso haja inadimplência, o imóvel ou veículo utilizado como garantia é colocado em leilão. Portanto, o refinanciamento exige muito planejamento.

O que levar em conta para conseguir o melhor empréstimo?

Agora que você conhece os principais empréstimos e como eles funcionam, está na hora de saber o que considerar na hora de contratar crédito.

Em primeiro lugar, você precisa analisar a sua situação financeira. Afinal de contas, ao contratar um empréstimo você deverá abrir mão de uma parte de sua renda. Portanto, organize e planeje suas finanças, para assim evitar a inadimplência.

Fique atento às taxas de juros

Com o seu planejamento pronto, chega a hora de comparar as taxas de juros e ver qual é a mais adequada a você. Os juros não dependem somente do tipo de crédito, eles também dependem de alguns outros fatores, como, por exemplo, o score de créditos no Serasa e o prazo do empréstimo.

Além de ajudar a economizar, pesquisar taxas de juros e ter uma noção da média do mercado é importante para evitar fraudes. Muitas vezes nos deparamos com ofertas com taxas de juros baixíssimas, que dispensam consulta de créditos e ainda oferecem parcelamentos longos. Tome cuidado com essas ofertas!

As linhas de crédito podem sim variar de instituição par instituição, mas se a discrepância for muito grande, provavelmente é uma fraude. Existem leis e órgãos reguladores que não permitem muitas variações entre as taxas, ter conhecimento dessa legislação ajuda a evitar essas fraudes.

Consulte o CET

Um outro fator que deve ser pesquisado com atenção, além das taxas de juros, é o Custo Efetivo Total (CET). Esse é o valor correspondente a todos os encargos, despesas, taxas e juros envolvidos na operação de crédito, ou seja, é basicamente o custo da contratação.

Vale ressaltar que, de acordo com uma resolução do Banco Central, todas as informações do CET devem estar presentes de forma clara no contrato do empréstimo.

Não se esqueça de consultar a reputação da empresa

Por fim, não deixe de pesquisar sobre a reputação da empresa que está ofertando o crédito. Consulte o CNPJ da empresa junto à Receita Federal e a sua reputação em sites de reclamação. Se a reputação não for das melhores, talvez a oferta de empréstimo ofertada não seja a melhor para você.

 

E aí, gostou do post? Então comente e compartilhe para que mais pessoas também possam ver!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.